O Último dos Moicanos: Auto-entrevista

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Auto-entrevista

O Ministério da Educação pagou a divulgação, no passado dia 14, nas páginas centrais de alguns jornais, sob a forma de publicidade, de uma "auto-entrevista" sobre o Estatuto da Carreira Docente que terá custado milhares de euros ao erário público. Este tipo de propaganda é: 1. Ilegítimo, na medida em que se gastam milhares de euros dos contribuintes para propaganda política, enquanto se cortam verbas às escolas e se suprimem direitos, tempo de serviço e expectativas salariais aos docentes, alegadamente por razões de contenção orçamental. Além disso, é inaceitável que o Governo gaste dinheiro em espaços publicitários para divulgar textos que se enquadram, apenas, na mais vil campanha alguma vez movida em Portugal contra os docentes portugueses. 2. Enganoso, porque os alegados esclarecimentos, prestados sob a forma de respostas, estão eivados de demagogia, de mentiras e de omissões graves. É mentira, por exemplo, que os docentes progridam na carreira pelo mero passar do tempo; também não é verdade que a transição da actual carreira para a que é proposta não se traduzisse em perdas salariais que atingiriam as centenas de milhares de euros; omite-se, por exemplo, que um docente, se adoecer dez dias num ano perderá dois anos de carreira. Mas estas são apenas três de entre as muitas fugas à verdade que constam no texto publicitário do Ministério da Educação. No entanto, este anúncio que os contribuintes terão de pagar à Ministra, Maria de Lurdes Rodrigues, acaba por ter a virtude de confirmar que: o ME não olha a meios para atingir os seus objectivos; nas questões essenciais, o ME não se moveu, um mínimo que fosse, desde o início do processo de revisão; o ME continua a tentar impor uma carreira com duas categorias; vagas para acesso aos escalões de topo, que deixariam a esmagadora maioria dos docentes a meio da carreira, independentemente do seu mérito; quotas para a atribuição das classificações mais elevadas, que seriam a negação do próprio regime de avaliação do desempenho; um exame, sem qualquer sentido pedagógico, para ingresso na carreira; menções qualitativas positivas que se traduziriam em perdas de anos de serviço; entre outras propostas manifestamente negativas. Perante esta publicidade, a Plataforma Sindical de Professores manifesta o seu mais veemente repúdio por esta iniciativa de propaganda e exige do Governo que torne públicos os seus custos para que os contribuintes saibam qual o destino que é dado aos seus impostos. Repudiam, ainda, a tentativa de enganar e manipular a opinião pública, pois, ao contrário do que afirma no seu texto, o ME não pretende valorizar o trabalho dos professores, mas, apenas, poupar dinheiro à sua custa. Contra a mentira, contra a difamação, contra a desonestidade negocial, Greve Nacional nos dias 17 e 18 de Outubro.
Assinado pela totalidade das organizações sindicais representativas da classe docente… (FENPROF, FNE, SPLIU, SNPL, SEPLEU, FENEI, ASPL, PRÓ-ORDEM, FEPECI, SIPPEB, SIPE, USPROF, SINPROFE, SNPES)

Etiquetas: ,

5 Comments:

Blogger redonda said...

A minha irmã aderiu à greve. Em conversa com ela hoje falei-lhe deste post no teu blog. Conseguiria admitir que sejam precisas restrições e sacrifícios (sobretudo se a classe política começasse por dar o exemplo...)o que me parece ultrajante é quando são injustos e a manipulação da opinião pública para crer que se trata apenas de acabar com privilégios injustificados.

terça-feira, outubro 17, 2006 8:38:00 da tarde  
Blogger Eva said...

Demagogia?
mentira?
mas isso lá é possível?
Abaixo a revolução demagógica!

quarta-feira, outubro 18, 2006 1:13:00 da manhã  
Blogger DarkMorgana said...

Não reparaste ainda que enganar e manipular a opinião pública é um dos passatempos preferidos dos nossos Ministérios?

quarta-feira, outubro 18, 2006 12:08:00 da tarde  
Blogger Cleopatra said...

Pagou a notícia?
Esta é muito boa para o Dizpositivo.
E sabe se é verdade?

terça-feira, outubro 24, 2006 10:09:00 da manhã  
Blogger Apache said...

O texto que publiquei foi produzido pelos sindicatos e circulou pelas escolas, não tendo havido qualquer desmentido oficial em relação ao seu conteúdo, mas certezas não tenho!

quarta-feira, outubro 25, 2006 1:26:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home