O Último dos Moicanos: "Externalização"

terça-feira, 14 de novembro de 2006

"Externalização"

“Alguém sabe o que significa a palavra externalização? Trata-se de uma palavra que não vem em nenhum dicionário, mas que se pode encontrar no Diário da República…”
A pergunta foi colocada na Sic Notícias, no passado dia 9/11/2006, pelo jornalista Mário Crespo e, ao que parece continua sem resposta. Entretanto o Google apresenta 47 400 páginas com a palavra. Seria interessante saber quem ganha com tão rápida propagação do disparate.
Cheira-me a nova versão da Terminologia Linguistica para os Ensinos Básico e Secundário (TLEBS), ou pivete similar!
Apache, Novembro de 2006

Etiquetas: ,

16 Comments:

Blogger Cleopatra said...

" externalização " _ acto ou efeito de tornar externo por meio violento, normalmente com utilização de objecto corto contundente, ou dilacerante, o externocleidomastoideo.

Fácil!

terça-feira, novembro 14, 2006 1:23:00 da tarde  
Blogger Manza said...

Boa noite Apache
.
Tem alguma razão, mas segundo NONAKA e TAKEUCHI a externalização é um processo de articulação do conhecimento tácito em conceitos explícitos.
A externalização é a chave para a criação do conhecimento, pois cria conceitos novos e explícitos a partir do conhecimento tácito. Como converter conhecimento tácito em explícito de forma eficiente e eficaz? No uso sequencial da metáfora, analogia e modelo.
.
O processo designado de internalização é o processo de incorporação do conhecimento explícito em conhecimento tácito. É o "aprender fazendo". Quando internalizadas nas bases do conhecimento tácito dos indivíduos sob a forma de modelos mentais ou know-how técnico compartilhado, as experiências através da socialização, externalização e combinação tornam-se ativos valiosos.
.
A criação do conhecimento organizacional, segundo Nonaka e Takeuchi, alimenta a inovação, e o conhecimento é criado dentro da organização sob a forma de produtos, serviços e sistemas.
.
A interação entre o conhecimento tácito e o conhecimento explícito é realizada por um indivíduo, não pela organização em si. A organização não pode criar conhecimento sem indivíduos.
.
In: NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. 5. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997
.
A construção do conhecimento organizacional é um processo que se desenvolve ao longo do tempo e que comporta, para além do esforço individual, práticas colectivas que permitam a socialização e a integração dos diversos tipos de saber. Nonaka, Reinmoeller e Senoo
(1998) sumariam este processo em quatro fases:
1. a socialização - partilha do conhecimento tácito, ou seja troca de experiências pessoais;
2. a externalização – articulação e tradução do conhecimento tácito em formas que outros
possam entender (codificação);
3. a combinação – difusão, edição e sistematização do conhecimento fragmentado
codificado;
4. a internalização – tradução do novo conhecimento codificado em tácito individual através
de novas experiências e exercícios.

ISTO TUDO PARA DIZER em termos mais conhecidos por todos nós que a "EXTERNALIZAÇÂO" é o termo "OUTSOURCING"

Espero que esta explicação, algo confusa, sirva para ficar a conhecer melhor este termo, que até aparece no DR.

terça-feira, novembro 14, 2006 6:54:00 da tarde  
Blogger Apache said...

Obrigado à Cleópatra e principalmente ao Manza pela explicação!
Já agora, Cléo, onde é que encontrou a definição? Eu procurei nos dicionários da Porto Editora e da Texto Editora e nada consta. Também o dicionário on-line da Priberam desconhece a palavra. Na Base de Dados Morfológica de Português do ILTEC também não consta. E o Google não encontra na net nenhuma definição para ela, daí a minha curiosidade.
Tanto quanto percebi da explicação do Manza (muito completa (uma vez mais, obrigado!)) trata-se de uma tradução "brasileira", não muito correcta, já que "inventa", digamos assim, a palavra. Será que estou errado?
Beijinho e abraço!

terça-feira, novembro 14, 2006 7:55:00 da tarde  
Blogger Cleopatra said...

Oh Apache,... inventei!!!

terça-feira, novembro 14, 2006 10:01:00 da tarde  
Blogger Manza said...

Afirmativo Apache
Daí que eu refira que é o termo utilizado por "nós" Europeus que não traduzimos mas apenas nos limitamos a usar o anglicismo "OUTSOURCING".
Como nós estamos a adoptar o "Portusileiro", como Lingua base tal não é difícil de perceber porque é que o termo já aparece no DR.

quarta-feira, novembro 15, 2006 12:12:00 da manhã  
Blogger Apache said...

Bem que eu achei aquela associação de ideias estranha, mas... Além do erro ortográfico que pensei que fosse acidental, dada a proximidade das letras no teclado... "esternocleidomastoideo" não tem nada de externo, apenas de esterno, clavícula e mastóide, os três ossos onde se "agarra" o dito! Mas como me parece normal que a sua literacia possa ser superior à minha, achei que devia baixar as orelhas...

Subscrevo, Manza!

quarta-feira, novembro 15, 2006 12:53:00 da manhã  
Blogger Cleopatra said...

tina de ser assim para poder ter graça Apache!
O grande chefe anda com falta de humor.
Ai anda anda!

quarta-feira, novembro 15, 2006 6:41:00 da tarde  
Blogger Cleopatra said...

e não é tina... aqui não é tina, é TINHA!!!!

Tinha do verbo ter e não de doença.
UFFFF

quarta-feira, novembro 15, 2006 6:42:00 da tarde  
Blogger Apache said...

É do cansaço... e da chuva também!

quinta-feira, novembro 16, 2006 12:45:00 da manhã  
Blogger Lusitana Paixao said...

XIIIIIIIIIIII
O que vai para aqui.
Nada disso.
Externalização:
Da palavra lização externa.
Lizar - alizar... tornar lizo com z.
E o z está sob o s.
Toranar externo ou visível esse alizamento.
Externalização é isso.
Oi Manza. Os cáras querem mesmo méter-se cá.-
São eles e os Espanhóis.
O exercício Lusíada evita essas invasões??

quinta-feira, novembro 16, 2006 1:28:00 da tarde  
Blogger Apache said...

Ó Lusitana, eu acho que por este seu raciocínio, tem mais lógica que externalização seja uma tentativa de deixar lisa a União Europeia, o pior é que eu acho que os gajos já perceberam que este país é um saco sem fundo e o que cá pinga já é muito pouco.

sexta-feira, novembro 17, 2006 1:39:00 da manhã  
Blogger DarkMorgana said...

"Externalização" é mandar qualquer coisa para fora de qualquer coisa, não?
Por exemplo, quando se vai á casa de banho, faz-se a externalização de qualquer coisa...

E se eles fosem ao produto externalizado, é que faziam bem...

E eu é que inventava palavras quando era pequena..."cavalista", por exemplo...

sábado, novembro 18, 2006 7:12:00 da tarde  
Blogger DarkMorgana said...

Uaoffff!

terça-feira, novembro 21, 2006 8:32:00 da tarde  
Blogger Apache said...

Cavalista?
Lista encabeçada pelo cavador cá do burgo.
Em alternativa, cavalo que se alista no regimento de cavalaria.
Ou ainda, camisola listada e de mangas cavas.

Uaofff! Forma de protesto, não cavada, mas lavrada!

Vou "postar" qualquer coisa antes que os fãs vão embora de vez...

quarta-feira, novembro 22, 2006 12:05:00 da manhã  
Blogger Eva said...

E porque não a nacionalização do externo?
Até se lhe podia juntar o cleidomastóideu ;-)

Poste mais indío que o seu postar tem graça.

beijoco

segunda-feira, novembro 27, 2006 12:45:00 da manhã  
Blogger Apache said...

A moda agora é a das privatizações, Eva...
Tentarei "postar" com mais frequência.
Joca.

segunda-feira, novembro 27, 2006 1:59:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home